Negócios lucrativos para 2019

No post de hoje, você irá conhecer algumas ideias de negócios lucrativos para empreender em 2019! Reunimos caminhos, tendências e dicas para quem tem vontade de abrir uma empresa neste cenário econômico de incertezas e retomadas.

Todo mundo sabe que 2018 não está fácil para ninguém…

Mas a boa notícia é que ele deve chegar ao fim com a inflação sob controle, juros básicos em patamar baixo e uma sociedade mais vigilante para cobrar esforços fiscais e orçamentários do governo.

Então, como projetar novos negócios e encontrar ideias para negócios lucrativos para 2019?

Primeiro, sabendo que a jornada será longa. A crise ainda é grande, e a polarização política ainda freia investimentos.

De qualquer forma, quem empreende não pode esperar pelo melhor cenário possível.

É preciso ficar atento às tendências do mercado, planejar os caminhos mais vantajosos para o seu negócio e trabalhar.

Conheça neste artigo, alguns negócios lucrativos para investir neste momento.

 

Negócios lucrativos agora e sempre

Uma boa maneira de enfrentar as dificuldades da economia no Brasil é criar um planejamento minucioso para seu empreendimento. Com alguma pesquisa, você vai notar: os negócios lucrativos estão por todos os lados, mas o caminho até eles não é tão fácil ou rápido.

Um bom início é analisar a situação atual do mercado, verificando quais tipos de negócios estão em alta.

De um ano para o outro, a tendência é que o mercado não apresente mudanças drásticas.

Por isso, o empreendedor pode embasar seu planejamento a partir dos negócios que fazem sucesso em 2018 e que se sustentam em perspectivas de longo prazo.

Mas é preciso ir um pouco além do que funcionou neste ano e que pode funcionar no futuro.

Nessa hora, mais do que perseguir modelos prontos, é importante identificar oportunidades. E como fazer isso?

Uma das maneiras é encontrar problemas que não estão sendo devidamente resolvidos pelas empresas e tentar conceber formas para tornar esse tipo de solução mais eficiente, mais rápida ou mais barata.

Nesse caso, vamos tomar como exemplo as fintechs.

Muitas dessas startups perceberam que os bancos não estavam atendendo plenamente às demandas dos consumidores.

Crédito caro, tecnologia deficiente e escassez de produtos poderiam ser citados por quem quisesse investir na área.

Dessa forma, as startups de finanças se posicionaram para entregar soluções que respondessem melhor aos anseios dos clientes.

Esse é um exercício de imaginação que serve apenas para ilustrar esse viés de encontrar negócios lucrativos a partir de problemas enfrentados pelos consumidores.

Outra perspectiva para enxergar oportunidades é analisar o que você faz melhor do que os outros e como poderia aplicar essa habilidade ou talento em novos negócios.

Talvez você tenha uma formação em tecnologia, conheça um contador e crie em sociedade uma empresa contábil totalmente digital, que utilize a automação para acelerar rotinas e disparar na frente da concorrência.

Esses exemplos têm o objetivo de lembrar que, seja em 2019 ou 2022, criar negócios lucrativos significa encontrar maneiras de atender a uma demanda que não está sendo devidamente atendida pela concorrência.

Agora que já temos essa premissa básica em mente, vamos para a prática: quais são alguns dos caminhos mais interessantes para investir neste momento?

Negócios lucrativos para 2019

A seguir, veja alguns negócios lucrativos que fizeram sucesso em 2018 e que apresentam perspectiva de crescimento para o próximo ano:

 

  • Alimentação saudável

Nunca o mercado esteve tão propício para investir na alimentação saudável como agora. Cada vez mais as pessoas optam por produtos naturais: desde aqueles sem glúten e lactose, para quem tem intolerância, aos orgânicos, para quem aposta no estilo de vida saudável.

Segundo a Euromonitor International, de 2012 a 2016, o mercado de alimentos e bebidas saudáveis teve, em média, crescimento de 12,3% ao ano. Só em 2016, o segmento contabilizou R$ 93,6 bilhões em vendas no Brasil.

O fato é que esse tipo de negócio encontra espaço porque há pessoas interessadas em manter uma alimentação de qualidade.

A tendência é que, com a melhora da economia, esses produtos sejam ainda mais procurados. Lojas de produtos naturais e marcas de alimentos saudáveis, portanto, tendem a conquistar bons resultados.

Por que vale o investimento: os números da Euromonitor demonstram que, de forma geral, esse mercado tem apresentado um crescimento constante nos últimos anos, gerando menos riscos para o empreendedor.

 

  • Clubes de assinatura

Os clubes de assinatura tornaram-se populares no Brasil. Segundo a Associação Brasileira dos Clubes de Assinatura, em 2017, já havia 350 empresas no país. Todo mês, esses clubes enviam aos assinantes produtos do segmento em que atuam: itens para Pets, alimentos saudáveis, vinhos, queijos e livros são alguns deles.

De acordo com Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, em 2014, o faturamento dos clubes somava R$ 430 milhões. Para 2018, a estimativa é maior: R$ 782 milhões no ano  — um crescimento de 8% em relação ao ano passado.

Por que vale o investimento: o mercado dos clubes de assinatura cresce a cada ano, e a vantagem é que o empreendedor tem uma variedade de públicos segmentados nos quais pode apostar.

 

  • Mercado Pet

A economia passa por altos e baixos. Mas, independentemente do momento, um mercado que tem permanecido estável é o de pets. Não é para menos, já que o Brasil é o quarto maior país do mundo em número de animais de estimação.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), o faturamento do mercado pet totalizou, no ano passado,R$ 20,3 bilhões. Trata-se de um aumento de 7,9% em relação a 2016.

Vários tipos de negócios entram nesse segmento: Pet Shops, lojas especializadas, clínicas veterinárias, marcas de produtos e alimentos para animais.

Por que vale o investimento: a realidade é que sempre haverá demanda por esses serviços, já que o Brasil é um dos países com maiores índices de animais de estimação: eles somam 132,4 milhões, conforme aponta a Abinpet.

 

  • Microcervejarias

Vender cerveja artesanal tem sido um bom negócio no Brasil. Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), houve um crescimento de 37,7% no número de cervejarias registradas no Brasil em 2017, totalizando 679 empresas.

As microcervejarias apostam na utilização de ingredientes de qualidade e insumos locais. Tudo para que o aroma, o sabor e as características da bebida sejam diferenciados de tudo que já é oferecido no mercado.

Por que vale o investimento: além de estarem inseridas em um mercado em expansão, as microcervejarias foram enquadradas, em 2018, no Simples Nacional, regime tributário simplificado para pequenos negócios.

 

  • Realidade virtual

Não há dúvidas: a tecnologia terá papel cada vez mais central nos negócios. A realidade virtual é um exemplo de negócio promissor. Afinal, há cada vez mais empresas criando produtos que levam o usuário a uma experiência sensorial realista.

E esse mercado impacta em diferentes setores, desde à indústria do cinema, com os filmes 3D, ao mercado de imobiliárias, que podem levar o consumidor a conhecer um imóvel a partir da experiência de realidade aumentada.

Por que vale o investimento: em um artigo para o site The Balance, Susan Ward, fundadora da Cypress Technologies, empresa de consultoria de TI, elencou a realidade virtual como uma das melhores oportunidades de negócios. Segundo ela, esse é um dos mercados com potencial para serem lucrativos por muitos anos no futuro.

 

  • Economia compartilhada

Grandes empresas como Uber e Airbnb evidenciam que modelos de negócio baseados na economia compartilhada podem ser lucrativos. Por meio do compartilhamento de bens e serviços e, geralmente, da internet, essas empresas possuem uma estrutura diferente em relação a negócios que atuam com base em modelos tradicionais.

No mercado, a economia compartilhada abre espaço para a inovação e, consequentemente, para a concorrência. Por isso, a tendência é que esse modelo cresça cada vez mais.

Por que vale o investimento: segundo estimativas, a economia compartilhada movimentará, ao redor do globo, 335 bilhões de dólares em 2025  — 20 vezes mais em relação a 2014.

 

  • Beleza e tecnologia

Mesmo em períodos de crise, o segmento da beleza tende a alcançar bons resultados, pois os consumidores nem sempre querem abrir mão dos produtos. Por isso, em 2019, essa continuará sendo uma boa opção de negócio.

A grande sacada é investir em itens que aliam beleza e tecnologia. Cosméticos e maquiagens, agora, precisam multifuncionais, facilitando ao máximo a vida do consumidor. Exemplo disso são as bases que têm sua tonalidade adaptada ao rosto das mulheres, podendo atender a um número maior de consumidoras.

A verdade é que a inovação é constante nesse mercado. Isso significa que há muitas oportunidades de negócio por aí.

Por que vale o investimento: o segmento de beleza e tecnologia foi elencado pela revista Inc. como uma das melhores indústrias para lançar um negócio, pois há um crescimento de mercado de nicho dentro da indústria da beleza.

 

  • Coaching

O coaching se popularizou no Brasil nos últimos anos, porque cada vez mais pessoas buscam desenvolver competências e aprimorar a forma com que lidam com os desafios do dia a dia. Seja na área pessoal, seja na profissional, o coaching é uma ferramenta para que o aluno, a partir das aulas, obtenha resultados melhores.

A receita total global estimada do mercado de coaching foi de 2,3 bilhões de dólares em 2015, um aumento de 18% em relação a 2011. Os dados são da International Coach Federation (ICF).

Por isso, montar seu próprio negócio, abrindo uma microempresa de coaching, pode ser uma boa alternativa para 2019. A vantagem é que você pode oferecer orientação na área em que você já tem conhecimento: gestão de pessoas, administração, psicologia – há muitas possibilidades. Mas lembre-se de que é preciso ter uma formação em coaching para isso.

Por que vale o investimento: os serviços de educação, como treinamento profissional e gerencial, estão na lista das atividades mais promissoras para 2018 do Sebrae.

 

E aí, já tem alguma ideia a respeito do seu futuro empreendimento? É hora de arregaçar as mangas e “botar a mão na massa” para lucrar em 2019 com o seu próprio negócio!

 

Inscreva-se

Gostou deste post? Então se inscreva para receber quinzenalmente artigos, matérias e pesquisas da área de gestão de negócios. Aproveite também e siga nossas redes sociais como FacebookInstagram, Linkedin e Youtube.